sábado, maio 05, 2007

Respiração em fragmentos

Muitas patologias advêm da má respiração.
***

- Prende, prende, prende… Solta com um suspiro… De novo. Prende, prende, prende… Solta com um suspiro…

Essas são palavras da fisioterapeuta. Ela trata da reeducação postural, desatando nós semanalmente. E toda semana há novos. A região dos ombros é crônica.

- Não precisa me ajudar. Apenas respire.

Outras palavras da fisioterapeuta. Ela diz “Apenas” como se fosse fácil apenas respirar. Talvez seja, mas não parece. Aliás, é cada vez mais difícil esse processo mecânico, essa troca. Oxigênio, oxigênio, oxigênio... Gás carbônico, gás carbônico, gás carbônico.

***

- Mulheres que moram sozinhas ficam mal faladas.

Palavras da avó, que já beira os 90.

- É muito feio uma mulher sozinha, que recebe homens em casa. Fique na casa dos seus pais até conhecer seu noivo, casar e ir morar com ele.


A mecânica da indecência: mulher-independência-homens.


***

-Tenho que esconder as coisas – diz enquanto procura o dinheiro. – Nunca tive que esconder nada, mas agora elas andam sumindo...

A mecânica da memória já dá sinais de desgaste, embora não abra mão da produção em série pais-noivo-casamento. Mais um processo mecânico: viver.

“Apenas respire”. Complicado isso, não?! Afinal, trocas são sempre complexas...


Oxigênio, oxigênio, oxigênio... Gás carbônico, gás carbônico, gás carbônico.

***

Muitas patologias advêm da má respiração.

6 comentários:

Stephanie disse...

realmente, esse negócio de respirar direito às vezes parece difícil. Você já tentou pelo diafragma?

acho bom tentar respirar fundo perto de avós e outras pessoas que recomendem a dinâmica 'casa dos pais-casamento' - pra que idéias como essa vão embora com o CO2

sobre seu comentário, algumas confissões: Madalena me exige coragem. Cada conto dela é um desafio, é remexer vida, de coisa pensada e não dita, sentimentos - mas cada vez que uma outra mulher diz que sabe daquilo ali, vem uma alegria imensa,

a certeza de que vale a pena ter certas coragens

=)

beijos

Bernardo Tonasse disse...

"Nunca tive que esconder nada, mas agora as coisas andam sumindo..."

Simples e foda, do jeito que eu gosto. :)

Thorpo disse...

Bom ritmo, boa escrita, voltarei pra ler mais.

Bernardo Tonasse disse...

beijo, malu!

fabio jardim disse...

um intrigante recorte. faz a gente pensar. beijos!

Anônimo disse...

apenas respirar, apenas se entregar ao fluxo da vida para que ela siga dentro do ritmo e necessidade de cada um; assim como a bela crônica do velho que exibe elegantemente suas marcas do tempo.
valeu!parabéns. beijos leilah