quinta-feira, outubro 12, 2006

Toc, toc, toc, toc...Soluço!




Museu Rodin - Paris
"Há sempre algo de ausente que me atormenta" (Camille Claudel)






Quem pode obrigar uma idéia a ir para o papel, quando ela insiste em permanecer martelando na cabeça?!

Você explica para ela que o lugar dela é sobre o papel e nada! Ela é teimosa! E passa semana e chega semana e ela permanece irredutível. Você coloca o papel em branco na frente para ver se consegue seduzí-la. Ela faz pouco caso, vira a cara e segue seu cotidiano massacrante, desgastante, pesado. Você sacode a folha branca, como a mãe que tenta atrair a atenção do bebê para a chave enquanto retira a faca de seu alcance. Inútil!

Cansado, você a ignora, finge que ela não está ali, que não o encomoda, que não altera sua rotina, que não muda seu humor, que não é inconveniente...
E ela desaparece como soluço. Pausa: como parar um soluço?! este tema merece algumas palavras...

Você se sente aliviado, bem-humorado, tranqüilo, bem disposto, confortável, encaixado direitinho no mundo. Até que...
Soluço!
Receitas para acabar com soluço: (serviço de utilidade pública)

1. Beber água sem respirar
2. Papel na testa (contra indicado para pessoas que estiverem em público)
3. Susto (contra indicado para pessoas com pressão alta)
4. Beijo (não passa, mas é divertido!)
5. Beber água de cabeça para baixo (contra indicado para pessoas submetidas à gravidade)
6. Forçar o soluço (não ajuda a passar, mas você conseguirá chamar atenção...)
7. Prender a respiração.
8. Outros
9. Levantar os braços (ou esse é para quem engasga?!)
10. Se jogar - de cabeça - do último andar de qualquer edifício com mais de 5 andares (contra indicado para pessoas com amor à vida)

E quanto à idéia: conviva com ela aguardando para saber quem sobreviverá mais. Você ou ela?! Ou se joga sem pára-quedas sobre ela. Deixe-a acreditar que está ganhando, enquanto é desgastada aos poucos. Até que um dia você vai sentir falta de alguma coisa, vai abrir o armário, vai vasculhar de baixo da cama, vai verificar na caixa do correio e vai ficar um bom tempo com a sensação de que perdeu algo pelo caminho...

5 comentários:

André Kano disse...

Pensei que o seu fluxo criativo não fosse interrompido como é o meu... beijos.

LuizK disse...

Era vc hoje???

Stephanie disse...

Nunca entendi essa história de beber àgua de cabeça pra baixo pra parar soluço.

Quanto à idéias que resistem ao papel, já tentei colocá-las, engasguei, solucei, chorei e algumas ainda assim se recusam. Então aceito o fato de existem coisinhas impublicáveis.

Anônimo disse...

O fluxo segue...

Bernardo Tonasse disse...

Eu quero ver essa pedra em Sao Francisco!